Marco Apicella,

Por Onde anda? Marco Apicella, o piloto de 800 metros

8/30/2017 F1 Fanático 0 Comentarios


Existem pilotos que são tão JENIAIS, que só precisam de 800 metros para fazer história na F1. E o italiano Marco Apicella é esse cara. Italiano promissor, foi para a F-3000 em busca do tão sonhado cockpit em uma equipe de F1. E ele foi vítima da terrível teoria de que quando um piloto é ruim, ele fica mais de quatro anos na categoria de acesso à F1. E ele ficou CINCO anos! Sem nenhuma vitória e sete segundos lugares. Ao menos fez uns testes para a Minardi...
 

De saco cheio dessa F-3000, resolveu ir para a F-3000 japonês, que na época não se chamava F-Nippon. Lá ele estava bem, quarto lugar no campeonato de 93, quando pinta a oportunidade da sua vida. Thierry Boutsen resolve se aposentar no GP da Bélgica e uma vgaa surge. Apicella quebrou o cofrinho e com toda grana que tinha ofereceu para Eddie Jordan, que estava vendendo o segundo cockpit da equipe por qualquer trocado.e com a recusa do piloto de testes, Emmanuelle Naspeti em pegar essa bomba, E lá foi o sortudo Apicella, ser companheiro da então promessa Rubens Barrichello no GP da Itália, fazendo um dupla com sobrenomes macarronescos.

Correndo diante de sua torcida, tudo que Apicella queria era completar a prova e mostrar para Eddie jordan que ele mereceria uma vaga na equipe. Até porque, o dinheiro só tinha dado para uma corrida e era tudo ou nada. Na sexta, ele acabou rodando e batendo. Mau sinal. Mas no sábado conseguiu se qualificar em vigésimo terceiro, enquanto Barrichello foi o décimo nono. Nada mau.


Na largada, veio o recorde. Na largada, Apicella vinha bem quando na chicane, aconteceram um monte de toques. Senna e Hill se tocaram, mas continuaram na prova, Aguri Suzuki e Derek Warwick se acharam, e JJ Lehto, resolveu decidir a corrida na chicane e acabou acertando Barrichello e Apicella de uma vez. Barrichello conseguiu se safar, mas Apicella teve a suspensão dianteira e abandonou. Sua estreia na F1 durou 800 metros. Em uma entrevista muito tempo depois , Apicella disse que não gostava do circuito de Monza, então creio que Lehto ficou sabendo disso e se vingou... =P

Eddie Jordan, até ofereceu o carro novamente para Apicella para o GP de Portugal, mas o italiano recusou, resolvendo se focar na F-3000 japonesa e ficar com o insólito recorde. E em 1994, sua aposta na categoria japonesa deu certo, pois ele foi campeão da categoria. Ficou no Japão até 1997, e chegou até a testa o protótipo da Dome fez para tentar entrar na F1 em 1997. Seria sua chance de voltar, mas o projeto não seguiu em frente e ele se deu mal.

Em 1999, ele disputou a F-3000 italiana e tentou voltar a F-3000 internacional, para correr em Spa, mas ele não conseguiu se qualificar para a corrida. Ele etão voltou para o Japão, para se focar em campeonatos de Carros GT. Sua última aparição foi em 2009, nas 24 horas de Le Mans, com seu Lamborghini Murciélago quebrando na primeira volta (carma?)

DEssa vez, eu não faço ideia por onde anda Apicella, esse gênio das pistas e dono do incrível recorde de carreira mais curta na história da F1. Mas o site dele existe, embora não seja atualizado desde 2006.  vou mandar email pra ele, para ver se responde... para quem quiser visitar essa maravilha de site feito em FLASH http://www.marcoapicella.com/menu.html


Postagens Relacionadas

0 comentários:

Anterior Página inicial Proxima