Eric Van de Poele,

Por Onde anda? Eric Van de Poele, o 'piloto-falência'

3/12/2017 F1 Fanático 0 Comentarios

 
Na Fórmula 1, além do talento e arrojo, o piloto que entra na Fórmula 1 tem que ter a sorte de estar na hora certa no lugar certo. E isso não se aplica a essa lenda injustiçada do automobilismo, o belga Eric Van de Poele. Nascido em 30 de setembro de 1961, de Poele corria em categorias de base menores até que chamou  atenção do mundo do automobilismo ao vencer a DTM em 1987 e sem vencer nenhuma corrida, tudo na base da regularidade.


Depois dali, ele migrou para a fórmula 3 inglesa em 88 e em 89 e 90, correu na F-3000, a principal divisão de acesso da F1 e em 1990 ele foi vice-campeão, perdendo o título para o glorioso Erik Comas. com esse bom resultado na bagagem, ele foi atrás de uma equipe da F1 para mostrar os seus talentos e ele conseguiu uma vaga na nova equipe Modena/Lamborghini, graças ao patrocínios que tinha.

A Lamborghini resolveu que dava para ser construtora assim como a Ferrari e achava que o seu motor resolveria tudo, só precisava de alguém ajudasse a desenvolvê-lo E de Poele achou que ele seria esse cara. E lá foi ele. Não conseguindo se qualificar em Phoenix- onde sua última volta da pré qualificação foi atrapalhada por um louco que invadiu a pista e ao invés de dar bandeira vermelha, a direção de prova deu bandeira amarela na pista e acabou com a chance dele de qualificar - e no Brasil também, mas veio uma prova que mostrou que de Poele não era lá tão ruim assim como se achava.

San Marino, 1991. A famosa prova que o Prost rodou na volta de apresentação debaixo de um aguaceiro. De Poele se qualificou e finalmente iria estrear na F1. Ele largou em vigésimo primeiro e na quarta volta já estava em décimo primeiro, De Poele ficou em sexto na volta 42. Ele iria pontuar na primeira corrida e com um modena. A Sete voltas do fim, Roberto Pupo Moreno, o supersub, abandonou com a sua Bennetton e Eric foi para quinto. dois pontos logo na estreia, nada mau! Mas a alegria de pobre dura pouco e na metade da última volta, a bomba de combustível falhou e Eric de Poele foi arrastando o carro até a linha de chegada, perdendo posições. Abandonou na variante Bassa, quase na linha de chagada. Terminou em nono, muito frustrado.

Depois disso, foi só tristeza para De Poele que não conseguiu se qualificar mais uma vez sequer. Nem em Spa, correndo em casa, ele conseguiu, pois deu uma senhora panca e foi parar no hospital. No final da temporada, a grana da Lamborghini acabou, e a equipe encerrou suas atividades.


Em 1992, Van de Poele buscou uma equipe tradicional para pilotar. a Brabham. Mal sabia ele que a equipe não era mais aqueeela Brabham de antigamente e estava desesperada precisando de dinheiro, qualquer graninha que fosse tava bom. De Poele faria dupla de equipe com a gloriosa Giovana Amati e teria que pilotar o carro equipado com o lendário motor Judd de 88.

Ele conseguiu largar na corrida de estreia na Africa do Sul, e terminou na honrosa décima terceira posição, a quatro voltas do vencedor Nigel Mansell. Depois disso, não conseguiu se qualificar em mais nenhuma outra corrida até o GP da Alemanha, Menção para o GP de Mônaco, quando De Poele levou pau do Moreno de Andrea Moda ficando de fora do Gp por 0.036s. Prevendo que a Brabham nem acabaria o ano- ela só durou até o GP da Hungria- , De Poele foi para outra equipe do fundão do grid, a Fondmental, substituindo o famoso Andrea Chiesa.


De Poele estreou em Hungaroring largando em décimo oitavo e rodando na segunda volta da prova. Finalmente correndo em casa, de Poele conseguiu terminar a corrida na décima posição. Depois na Itália, ele conseguiu se qualificar, mas não correu uma volta por um problema de embreagem. Depois disso,  a Fondmental faliu e De Poele ficou a pé, pela terceira vez em menos de um ano.

Em 1993, ele não conseguiu nenhuma vaga de titular. O máximo que ele conseguiu foi ser piloto de testes da Tyrrell, sendo reserva de uma das duplas mais inesquecíveis da década de 90, Andrea De Cesaris e Ukyo Katayama. Ele nunca mais correu em um GP de F1 de novo e ficou na história como muito azarado e dono de um dos capacetes mais feios que a F1 já viu. 

E Resolveu se voltar para as corridas de endurance. Disputou provas de resistência em Le Mans, Daytona, Sebring, Spa- ele é o recordista de vitórias das 24 horas de Spa, com cinco - e ele voltou a correr em 2016, na- olha o nome - TRANSAM  Euro Racing .

Ele tem site oficial, dá um oi para De Poele por lá http://www.ericvandepoele.com/ 

Postagens Relacionadas

0 comentários:

Anterior Página inicial Proxima